Arquivo de 14/08/2010

    Pesquisa divulgada ontem pelo instituto Sensus aponta a presidenciável do PT, Dilma Rousseff, quase 9 pontos à frente do candidato das oposições, José Serra (PSDB), em Minas Gerais. Essa vantagem equivale a mais de 1,3 milhão de votos. Entrevistados 1.500 eleitores em 53 cidades, entre 6 e 9 de agosto, Dilma obteve 42,6% e Serra 33,9%. Marina Silva ficou com 9,8% das intenções de voto. Em comparação ao levantamento feito em julho pelo Sensus, Dilma subiu mais de 8 pontos em Minas (de 34% para 42,6%), enquanto Serra caiu 2 pontos. Num eventual segundo turno, Dilma teria 49,5% dos votos no estado, contra 40,3% de José Serra.

    A disputa pelo governo mineiro continua liderada por Hélio Costa, candidato da aliança PMDB/PT. Segundo o Sensus, a vantagem de Hélio sobre seu principal adversário, o tucano Antonio Anastasia, é de 20 pontos: 46,4% contra 26,3%.

    A pesquisa de intenção de votos para as duas vagas ao Senado é liderada pelo ex-governador Aécio Neves (PSDB) e o ex-presidente Itamar Franco (PPS).

 do Brasília Confidencial

Porto Alegre - RS    O Datafolha tornou-se ontem o último dos quatro principais institutos de pesquisa eleitoral a identificar a liderança da candidata petista Dilma Rousseff na disputa pela Presidência da República. Depois do Vox Populi, do Ibope e do Sensus, que desde a segunda quinzena de julho apontam sucessivamente vantagem para Dilma sobre José Serra (PSDB), candidato das oposições ao Governo Lula, o Datafolha informou nesta sexta-feira que, ouvidos 10.856 eleitores entre os dias 9 e 12, a presidenciável do PT obteve 41% das intenções de voto, enquanto Serra obteve 33% e Marina Silva (PV) 10%. Considerados apenas os votos válidos, segundo o instituto, Dilma estaria a 3 pontos percentuais de ser eleita já no primeiro turno.

    Visto o histórico do próprio Datafolha, as últimas três semanas de campanha foram terríveis para Serra e ótimas para Dilma. O tucano perdeu 4 pontos e a petista ganhou 5, entre 23 de julho e 12 de agosto. Assim, Dilma cresceu de 36% para 41%, enquanto Serra caiu de 37% para 33%.

    Em números absolutos, os índices apurados pela pesquisa do Datafolha equivalem a 55,7 milhões para Dilma e 44,8 milhões para Serra. A vantagem da candidata petista, de 8 pontos percentuais, corresponde a quase 11 milhões de votos. É diferença superior à identificada recentemente pelo Ibope (7 milhões) e semelhante à apurada pelo Vox Populi há quase um mês.

    Dilma lidera, também com vantagem de 8 pontos, as intenções de voto para o segundo turno. Ela somou 49% e Serra 41%.

    Setenta e sete porcento dos eleitores, segundo o Datafolha, consideram o Governo Lula ótimo ou bom.

RESULTADOS POR INSTITUTO

 

                                                               Dilma            Serra          Marina

Datafolha (9 a 12/08)                          41%               33%                 10%

Sensus (31/07 a 2/08)                        41,6%           31,6%             8,5%

Ibope (26 a 29/07)                               39%               34%                    7%

Vox Populi (17 a 20/07)                    41%                33%                    8%

      O Datafolha apresentou também ontem uma nova rodada de pesquisas sobre intenções de voto para governador de seis estados e do Distrito Federal. Os resultados são os seguintes:  

Rio de Janeiro – Sérgio Cabral (PMDB) 57%  x  Fernando Gabeira (PV) 14%

São Paulo – Geraldo Alckmin (PSDB) 54%  x  Aloízio Mercadante (PT) 16%

Minas Gerais – Hélio Costa (PMDB) 43%  x  Antonio Anastasia (PSDB) 17%

Pernambuco – Eduardo Campos (PSB) 62%  x  Jarbas Vasconcelos (PMDB) 21%

Rio Grande do Sul – Tarso Genro (PT) 38%  x  José Fogaça (PMDB) 27%

Paraná – Beto Richa (PSDB) 46%  x  Osmar Dias (PDT) 34%

Distrito Federal – Joaquim Roriz (PSC) 41%  x  Agnelo Queiroz (PT) 33%

    Sobre a disputa estadual no Rio de Janeiro e em Minas Gerais também foram divulgados ontem os mais recentes resultados apurados pelo Vox Populi sob encomenda da Rede Bandeirantes. No Rio,  Sérgio Cabral obteve 49% e Fernando Gabeira 15%. Em Minas, Hélio Costa obteve 36% e Antonio Anastasia 26%.

O professor e pesquisador argentino Andrés Carrasco, da Universidade de Buenos Aires, ganhou notoriedade internacional quando, em abril de 2009, divulgou resultados de suas pesquisas indicando que o glifosato, princípio ativo do herbicida (mata-mato) Roundup, da Monsanto, está associado a malformações de embriões de anfíbios.
 
Na tarde de 7 de agosto, último sábado, o Dr. Carrasco começava uma palestra em La Leonesa, na província do Chaco, quando um grupo de funcionários municipais e arrozeiros que defendem os agrotóxicos, liderados pelo chefe da administração local José Carbajal e pela deputada Elda Insaurralde, insultaram, ameaçaram e agrediram parte da comitiva que acompanhava o pesquisador. A palestra foi interrompida e houve necessidade da intervenção da polícia.
 
A comitiva era formada pelo ex-Subsecretário de Direitos Humanos do estado Marcelo Salgado e pelos deputados Carlos Martínez e Fabricio Bolatti, entre outros. Salgado foi brutalmente agredido no rosto, chegou a ficar inconsciente e teve o joelho quebrado. Martínez e Bolatti também foram espancados.
 
Carrasco se refugiou em um carro, onde ficou preso por quase duas horas sob ameaças de linchamento.
 
A imprensa local observou que o dono das fazendas arrozeiras do Departamento Bermejo, Eduardo Meichtry, de longe incitava os funcionários da administração local e os trabalhadores de seus estabelecimentos a impedir a saída do carro onde estava o pesquisador.
 
Antes deste triste episódio, Carrasco havia realizado excelentes exposições na Assembléia Legislativa do Chaco e na Faculdade de Humanidades da UNNE (Universidad Nacional del Nordeste), e encerraria sua estadia na província com uma conversa com os moradores de La Leonesa e de Las Palmas.
 
O Roundup é largamente usado em todo o mundo e sua utilização foi fortemente expandida com a difusão das lavouras transgênicas RR (Roundup Ready), que foram desenvolvidas para tolerar aplicações do produto (esse é o caso de toda a soja transgênica plantada).
 
Os testes em anfíbios realizados por Carrasco foram baseados em modelo tradicional de estudo para avaliação de efeitos fisiológicos em vertebrados, cujos resultados podem ser comparáveis ao que aconteceria com embriões humanos. Os resultados da pesquisa mostram que doses mínimas de glifosato causaram defeitos no cérebro, intestino e coração de fetos de várias espécies de anfíbios.
 
Carrasco começou a enfrentar várias formas de perseguição pouco após a divulgação de suas pesquisas. Sofreu os mais variados tipos de ataques que visavam desqualificar sua pesquisa e a ele próprio enquanto pesquisador.
 
O mais notório foi o veto à sua palestra prevista para a Feira do Livro 2010, na Argentina, organizada pelo CONICET (Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Tecnológicas), do qual Carrasco é membro. A censura chegou inclusive a ser questionada por parlamentares argentinos, que sugeriram a existência de ligações entre o CONICET e a Monsanto.
 
Mas avanços importantes sobre o tema também se passaram na Argentina depois da divulgação dos estudos de Carrasco. Em março deste ano justiça de Santa Fé proibiu a utilização do glifosato nas proximidades de zonas urbanas. Os juízes também marcaram jurisprudência ao invocar o Princípio da Precaução e foram inovadores ao valorizar os testemunhos dos afetados pelas intoxicações e contaminações. A sentença ordenou ainda que o governo estadual realizasse estudos junto à Universidade Nacional do Litoral (UNL) para avaliar os danos dos agrotóxicos à saúde e ao meio ambiente.
 
Outro passo importante foi a publicação, em julho último, de um informe oficial do governo estadual do Chaco (estado vizinho a Santa Fé, no norte do país) confirmando a relação entre agrotóxicos e aumento de doenças na região: em uma década, triplicaram os casos de câncer em crianças e quadruplicaram os nascimentos de bebês com malformações.
 
Grande parte dos dados deste estudo está focada na localidade La Leonesa, epicentro das denúncias por abuso na aplicação de herbicidas e inseticidas na produção de arroz. O informe oficial solicita que sejam tomadas “medidas preventivas” em La Lenoesa até que se realize um estudo de impacto ambiental e pede que se ampliem as análises para as outras seis localidades que estariam sujeitas às mesmas condições. La Leonesa é justamente a localidade onde a comitiva do professor agora foi agredida.
 
De fato este movimento de reação contra os abusos do agronegócio na aplicação de agrotóxicos não está agradando a todos. E os incomodados começaram a apelar para os piores métodos de confronto.
 
Como bem sintetizou a ONG argentina RENACE, “pode-se ver como a intolerância e a defesa do indefensável acham na violência sua maneira de expressão”. Lamentável.
 
Com informações de:
 
RENACE – Red Nacional de Acción Ecologista – Argentina, 09/08/2010.

Imagens divulgadas pela Rede Globo e feitas durante o motim mostraram jovens rebelados espancando cinco adolescentes reféns, que ficaram feridos.

As vítimas foram agredidas com pedaços de madeira, barras de ferro e até com um extintor de incêndio.

Um dos reféns ficou amarrado por quatro horas em cima de uma caixa d’água, a uma altura de quase 20 metros. Os agressores ameaçaram jogá-lo caso a polícia invadisse o local.

Apesar da violência, os reféns agredidos não tiveram ferimentos graves. Eles receberam alta hospitalar na manhã de ontem.

Computadores e impressoras foram quebrados e colchões, cobertores e móveis acabaram queimados.

Da Agência Record
 
Uma ossada humana foi encontrada em um armário dentro da Fundação Casa, antiga Febem, na manhã desta sexta-feira (13). Segundo a fundação, a unidade está localizada no bairro Belenzinho, zona leste de São Paulo, e não abriga menores em medida socioeducativa.
O material encontrado estava envolvido em um saco plástico fechado do serviço funerário municipal de São Paulo – o recipiente é usado para embalar ossadas após o processo de exumação. A Polícia Militar foi acionada, mas não pode entrar no prédio. Os policiais que atenderam a ocorrência foram até o 81º Distrito Policial do Belém, onde relataram o caso aos policiais civis que retiraram a ossada da unidade.
Os restos mortais foram encaminhados ao IML (Instituto Médico Legal) para análise. O caso foi registrado no 81° DP e será investigado por policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).
Ainda de acordo com a Fundação Casa, como a prédio não abriga menores, não há a hipótese de a ossada ser de algum adolescente da instituição.
 
Entidade aponta que são cometidos 700 crimes sexuais contra crianças na internet. Equivale a uma média de um por hora
Ernesto Braga
ernestobraga.df@dabr.com.br

 Brasília – O crescimento da internet tem contribuído para a expansão de um crime que não respeita as fronteiras: a pedofilia. De acordo com dados divulgados pela ONG SaferNnet Brasil, que recebe denúncias de pedofilia e de outros crimes cibernéticos, são registrados no país, a cada mês, cerca de 700 crimes sexuais contra crianças e adolescentes na rede mundial de computadores. Uma média de 23,3 por dia, um por hora.

A rapidez com que esse tipo de delito se difunde é uma das preocupações das organizações policiais internacionais. No Brasil, não é diferente. Em Minas Gerais, a Delegacia de Defesa Institucional (Delinst) da Polícia Federal já abriu neste ano 23 inquéritos para investigar ações de grupos internacionais de pedofilia na web. O número equivale ao total de inquéritos abertos ao longo de 2009, assim como de 2008, e comprova a tendência de crescimento desse tipo de prática criminosa.

Além do aumento do número de inquéritos abertos para investigar as redesinternacionais, as constantes operações da PF para apreender material pornográfico divulgado pela internet e prender suspeitos de pedofilia são mais uma prova de que é preciso agir com rigor para reprimir este delito. Em 27 de julho, a PF deflagrou a Operação Tapete Persa, abrangendo Distrito Federal e 10 estados. Foram presas 24 pessoas, na maior operação de combate à pedofilia já feita no Brasil, e apreendido farto material em computadores, DVDs, CDs e meios eletrônicos.

Somente nas três últimas semanas, a PF prendeu dois homens envolvidos com redes internacionais de pedofilia na internet em Minas. Pornografia infantil é crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com pena de até oito anos de cadeia. De acordo com o ECA, é proibido armazenar, oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar e/ou divulgar fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cenas de sexo explícito ou pornografia envolvendo criança ou adolescente.

A chefe da Delinst, delegada Tatiana AlvesTorres, explica que é atribuição da PF investigar casos em que as redes de pornografia têm ramificações internacionais. “Geralmente, quando cai na internet, há essa ramificação”, ressalta, lembrando que isso dificulta mensurar a quantidade de criminosos e vítimas. “Dependendo do caso, são milhares de pessoas. Caiu na internet, o acesso é ilimitado”, explica. Segundo o senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI de Combate à Pedofilia, cada pessoa que posta uma foto pornográfica a repassa a pelo menos outras 20.

Ramificado – Uma operação da PF em setembro de 2009, em Minas, São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará, constatou a ligação de pedófilos desses estados com outros de 23 países. Na ocasião, sete pessoas foram presas. À frente da Delinst desde março, a delegada Tatiana Torres se diz surpresa com a quantidade de queixas em relação ao tema. “É incrível a quantidade de sites e material oferecido na internet.”

Denuncie

Os canais de apoio da Polícia Federal são o Disque 100 (serviço telefônico), o site http://denuncia.pf.gov.br e o e-mail denuncia.ddh@dpf.gov.br

Durante o debate promovido pela TV Bandeirantes com os candidatos ao Governo do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, acusou o Governo Federal de ter reduzido o repasse na área de saúde para São Paulo. Ao contrário do que disse o ex-governador tucano, o Governo Lula investiu um total de R$ 580 milhões em saúde e grandes hospitais no Estado de São Paulo.

O Governo Lula transferiu R$ 9,2 milhões para procedimentos de média e alta complexidade, manutenção de equipes de profissionais, medicamentos e vigilância sanitária, o dobro do valor gasto pela gestão do PSDB, R$ 4,2 milhões.
O repasse do Governo Lula beneficiou as regiões das cidades de São Carlos, Guarulhos, Diadema, Santo André, Campinas e São Bernardo do Campo.

Em São Carlos foram repassados para o Hospital Escola Municipal, R$ 37,7 milhões; para o Hospital Prefeitura, entre obra e equipamentos, R$ 12,5 milhões; e para a Fundação Universidade de São Carlos, R$ 3 milhões. O Hospital Ouro Verde de Campinas recebeu R$ 41,8 milhões para obras e equipamentos. Guarulhos foi beneficiada com R$ 18,6 milhões para o Hospital do Bairro dos Pimentas.

Na região do Grande ABC, São Bernardo do Campo recebeu R$ 102 milhões para seu hospital. Diadema, um total de R$ 28,1 milhões para a unidade denominada Quarteirão da Saúde. Em Santo André, o Hospital da Mulher foi ampliado e equipado com mais de R$ 6,2 milhões recebidos.

Além disso, o Governo Federal investiu em 103 UPAs (Unidades de Pronto Atendimentos) para o Estado de São Paulo, com funcionamento durante 24 horas e que custaram R$ 186,6 milhões. Em relação às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) foram gastos R$ 3,7 milhões para a habilitação de 97 unidades. Postos de saúde e unidades especializadas em vários municípios consumiram R$ 140 milhões.

O Estado conta ainda com recursos federais para os programas Farmácia Popular e Brasil Sorridente.

No entanto, o Estado de São Paulo, o mais rico do Brasil e que há 16 anos está sob a gestão dos tucanos, é o único no país que não colabora no custeio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).