Parte 1 – Cultura digital e as eleições 2010: Cultura livre nas redes socais ou controle? Por @GnuEvertonby Everton Rodrigues

in Cibercultura,Conhecimento Livre,Creative Commons,Eleições 2010,cultura livre

Por Everton Rodrigues. Colaborou Julio Oliveira

A cultura livre e colaborativa da internet venceu a propagação do ódio e da mentira da grande mídia.

Nas eleições 2010 a internet tomou proporções gigantescas no debate eleitoral, permitindo pautar a mídia de massas em vários momentos. Com este novo quadro é necessário avaliar seu uso em todos os aspectos, seja a postura das candidaturas, das eleitoras e dos eleitores, das empresas de marketing, das equipes de redes sociais, e é claro, o resultado final das eleições.

Por um lado o resultado é positivo para aquelas(es) que compreendem e defendem “o espírito da internet”, ou seja, a cultura livre e colaborativa ao invés da centralizada. Nós que optamos pelo fortalecimento e uso do “espírito da internet” saímos desse processo fortalecidos e com inúmeros desafios. Podemos constatar também que os defensores do controle da mesma, geralmente durante a campanha eleitoral, jogaram contra a própria rede e não tiveram êxito, por isso, devem intensificar suas movimentações para o controle.

Palavras do ainda Senador Azeredo, e agora eleito Deputado Federal: “A campanha teve dois aspectos: o primeiro, benéfico, foi o uso das ferramentas digitais, em especial das redes sociais como forma de mobilização da militância e de comunicação entre candidatos e eleitores. O segundo, bastante nocivo, foi a disseminação de informações contra os adversários escondidas sob o manto do anonimato.” Ora, todas e todos nós sabemos que foi o P$DB e DEM quem disseminaram preconceitos e boatos diários desclassificando a imagem de Dilma. Para esconder-se no anonimato contrataram especialistas para inundar a internet e agora querem utilizar como exemplo a prática incoerente e mal intencionada produzida por eles para combater o anonimato. http://jogodopoder.wordpress.com/2010/11/06/folha-de-s-paulo-abre-debate-sobre-projeto-de-lei-que-preve-punicao-para-crimes-praticados-na-internet/

Em recente entrevista, o pesquisador Manuel Castells afirma: “O poder tem medo da internet” … “Porque a Internet é um instrumento de liberdade e de autonomia, quando o poder sempre foi baseado no controle das pessoas por meio do controle da informação e da comunicação. Mas isto acaba porque a Internet não pode ser controlada.” http://www.novae.inf.br/site/modules.php?name=Conteudo&pid=1722

A grande lição dessa eleição é: Enquanto a colaboração em rede na disseminação de propostas e conteúdos propositivos foram sucesso expresso na campanha da eleita presidenta Dilma, a centralização, o boato e propostas simplórias foram o fracasso da campanha de $erra.

Na campanha Dilma presidenta, nós da equipe das redes sociais da candidata fazíamos uma análise diária dos conceitos e resultados de nossos conteúdos e das ações do adversário nas redes sociais. Assim podíamos debater sobre sua aceitação ou não, e a partir desta avaliação era possível definir as ações para o dia seguinte.

Como podemos verificar na tabela, dos 27 dias de campanha eleitoral no 2º turno, Dilma teve maior aceitação no twitter em 19 dias e $erra apenas em 8 dias.

Nesse processo eleitoral, poucas candidaturas, proporcionais ou majoritárias, possuíam assessorias capazes de iniciar um processo de campanha eleitoral em rede, e que durante a própria caminhada pudessem aperfeiçoar seus métodos e ajustar suas táticas e estratégias, já que este foi nosso primeiro ano de intensa campanha na rede. Para a maioria a Internet foi utilizada uniformemente na lógica da televisão, ou seja, sem qualquer interatividade ou envio de informações específicas para grupos específicos.

Recebemos influências das eleições norte americanas. Muito interessante é observar que a campanha de Dilma teve consultoria de Ben Self, responsável pela campanha de Obama. Já na campanha de $erra o consultor foi o Indiano Ravi Singh, da empresa ElectionMall,  que distribuiu através de spans em todas as redes sociais boatos, mentiras e conteúdos de discriminação contra Dilma. Não coincidentemente, Singh trabalhou a mesma lógica conceitual na campanha de Bu$h em 2000 e também de Juan Manuel Santos (apoiador das políticas de Bu$h) na Colombia. Vale ler esse texto: “Eleições 2010: cultura ou barbárie?” http://congressoemfoco.uol.com.br/coluna.asp?cod_canal=14&cod_publicacao=34951

Nesse processo eleitoral tiveram êxito as candidaturas que mais interagiram na internet,  apresentaram diversidade de propostas, utilizaram humor, inovaram, analisaram suas próprias intervenções e como resultado contribuíram para mobilizar mais pessoas nas ruas.

Alguns acontecimentos vale relembrar e analisar:

Ainda em Abril, a campanha de 45 anos da Rede Globo saiu do ar em menos de 24h, após blogueiros e twitteiros mobilizarem contra a descarada campanha pró $erra. Essa foi a primeira vitória da campanha na internet. Pautamos a mídia. Eles não tiveram coragem de continuar com tanto descaramento. Veja o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Y9cOIczl4hw

Até aqui por enquanto Depois foi a vez da revista Época e o jornal Folha de SP tentando associar a luta de Dilma pela liberdade contra a ditadura com terrorismo, o que resultou no assunto mais comentado durante várias dias nas redes sociais e no twitter. Utilizamos a tag DilmaFactsByFolha  http://twitter.com/#search?q=DilmaFactsByFolha e a foto de Dilma que o DOPS usou no arquivo.  A revista deu grande destaque,  e assim, foi imediatamente transformada em estampa de camisetas e avatares para as redes socais. http://eleicoesnarede.blog.terra.com.br/2010/08/15/no-twitter-apoiadores-de-dilma-reagem-a-fama-de-guerrilheira/

E então, $erra e a Rede Globo sensacionalizam um “fato” com a intenção de enfraquecer Dilma novamente. Usando imagens do SBT, o suposto agredido por um objeto não identificado foi destaque nos jornais da emissora, mas para todos foi visível que se tratava de uma bolinha de papel. $erra virou motivo de piada no Brasil e no Mundo. Este vídeo é um dos exemplos de uso do humor na contra informação contra a maior empresa de comunicação do Brasil. Vejam: http://www.youtube.com/mpbeverton#p/a/u/0/3h4ZG2de88o e é claro no twitter por alguns dias a tag #SerraRojas http://twitter.com/#search?q=%23SerraRojas manteve-se como a mais comentada.

Após as eleições 2010, temos o desafio de barrar não somente o controle da internet, já tramitando no congresso nacional, mas também de pensar como contornar a nossa dependência de empresas privadas como twitter e facebook nas nossas campanhas eleitorais. Não sabemos ainda como, mas a conta oficial de Dilma foi bloqueada no Facebook, e os apoiadores de Serra criaram mecanismos bastante eficazes para denunciar como spam no twitter, contas de apoiadores de Dilma.

Nossa tarefa nas redes socais não pode parar! É preciso ir em frente! Vamos que vamos!

Sugestões de leituras:

http://blogln.ning.com/profiles/blogs/carta-aberta-a-soninha?xg_source=facebookshare

http://eleicoesnarede.blog.terra.com.br/2010/08/15/no-twitter-apoiadores-de-dilma-reagem-a-fama-de-guerrilheira/

http://www.jusbrasil.com.br/politica/4731109/campanha-de-45-anos-da-globo-sai-do-ar-em-menos-de-24-horas

http://relatividade.wordpress.com/2010/11/05/idg-now-dilma-venceu-serra-tambem-no-twitter/

Se gostou acima, leia mais abaixo:

  • A vitória do povo Brasileiro já começou, dia 31 é Dilma.
  • Dilma vence mas a direita não está morta: é jovem e tem curso superior
  • RT no Twitter sugere combinação entre campanha de Serra e o humorista @marcelotas do CQC.
  • Jornal Estadão avisa, Globo vai dar golpe
  • Produtoras e artistas do MPB, Movimento Música para Baixar, se reunirão no próximo sábado, 30 de maio, contra o Projeto de Lei 84/99, do senador Eduardo Azeredo (PSDB/MG).
  • GOG e Fernando Anitelli (Teatro Mágico), artistas que apóiam a Música livre e a Economia Solidária abrem seu apoio a Dilma Rousseff.
  • O segundo turno é bom para a esquerda (II)
  • “Imprensa no centro do debate eleitoral” Por Ricardo Kotscho
  • O que aflora em uma campanha desesperada? Os sentimentos mais grotescotes.
  • “Aborto é armadilha da direita” Por Altamiro Borges
  • Deixe uma Resposta

    Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

    Logótipo da WordPress.com

    Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

    Google photo

    Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

    Facebook photo

    Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

    Connecting to %s