Desde que o PT assumiu o governo, em 2003, Incra não vivia um momento tão crítico

Roldão Arruda, de O Estado de S. Paulo

Desde que o PT assumiu o governo, em 2003, o Incra não vivia um momento tão crítico quanto o que atravessa agora. Diferentemente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que assumiu o cargo prometendo solucionar o problema dos sem-terra com uma canetada e logo anunciou sua versão do Programa Nacional de Reforma Agrária, sua sucessora, Dilma Rousseff, tem evitado se manifestar sobre o assunto de forma direta.

Por outro lado, a eficiência do Incra é questionada nas discussões sobre o programa nacional de combate à miséria que está sendo costurado pelo Ministério do Desenvolvimento Social. O que se observou é que, nos anos do governo Lula, os índices de indigência e pobreza no meio rural, onde vive 15,2% da população brasileira, caíram num ritmo menor do que no conjunto do País. O foco mais preocupante desse problema localiza-se no Nordeste.

Nesse cenário, ganharam corpo nos últimos dias os boatos de que o governo planeja reduzir a área de ação do Incra, deixando-lhe o papel de protagonista apenas nas questões de assentamentos de sem-terra e regularização fundiária. Depois de assentadas, as famílias seriam assistidas pelos ministérios do Desenvolvimento Social, da Agricultura e da Educação.

O Incra é tecnicamente vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, que tem cerca de 200 funcionários. Na maior parte do tempo, porém, as duas instituições agem de forma isolada, com atividades diferenciadas.

O que o governo parece estar começando a discutir é se o Brasil precisa mesmo de três instituições para cuidar de problemas que envolvem, acima de tudo, interesses de pequenos produtores rurais: o Incra e os Ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário.

Atualmente o Incra tem quase 6 mil funcionários e desenvolve programas de assistência para quase 1 milhão de famílias assentadas da reforma agrária. Também está envolvido com a questão da demarcação de áreas de quilombolas e controle da compra de terras por estrangeiros

Anúncios
Comentários
  1. Eduardo diz:

    oxi !!!, o seu Brog tá arretado de bom !!! e daqui do meu pé de serra queria prosear e dizer que:
    o trágico na maioria das pessoas é que muita das vezes emitem comentários que não representam a verdade e acham que desenvolvimento é feito por decreto e ainda há outros que o mais próximo que chegaram do meio rural foram nas gondolas de hortaliças do supermercado. Seria pertinente enfatizar o grande papel social que o INCRA representa para o acampado que sai de uma condição de extrema miséria e passa a ser beneficiário do programa de reforma agraria do governo federal onde é assistido com habitação, credito, Assistência Técnica (em grande parte dos territórios a unica assistência técnica é fornecida pelo INCRA (onde anda a Assistência Técnica do Estado ?)), . Em muitos estados o INCRA trabalha sem apoio e se constitui na unica voz para o pequeno agricultor. O INCRA necessita de: mais apoio; integrar suas ações com outros setores do governo; maior fiscalização; aumentar o corpo técnico (um bom numero de técnicos oriundos dos últimos concursos já saíram da autarquia em virtude dos salários menores recebidos quando comparados com outros órgãos do governo com atribuições técnicas similares. Creio piamente que o INCRA tem potencial e se constitui em uma autarquia que leva dignidade a o homem do campo…Mas é logico que ainda ha muito a melhorar e isso não é uma tarefa a ser realizada apenas pelo INCRA, isso é um esforço a ser realizado pelos vários setores do governo e pela sociedade civil.

    ps: Precisamos ajudar o homem do campo e fazer a diferença no que diz respeito a melhorar sempre sua condição para que o mesmo alcance a dignidade almejada !

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s