Publicamos recentemente o texto Dilma anucia retomada da reforma agrária e recebemos o comentário do navegante que se apresenta como Eugênio, que enriquece o texto e apresenta várias sugestões de leitura.

A notícia abaixo reproduzida é de 2009. Graças ao comentário do Eugênio tomei conhecimento e embora com dois anos decorridos da publicação considero muito relevante sua divulgação ainda hoje.

Aproveito para agradecer as constantes observações e colaborações do Eugênio e de tod@s que nos ajudam a construir este espaço. Nosso muito obrigado.

RODRIGO RANGEL – Agencia Estado (23 de setembro de 2009)

O corregedor nacional de Justiça, Gilson Dipp, determinou hoje o cancelamento do registro de uma fazenda no interior do Pará que, no papel, tinha a metade do tamanho do Brasil. A aberração foi descoberta durante inspeção realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) nos cartórios da região de Altamira, uma das recordistas do país em conflitos fundiários.

Emblema da desordem que os técnicos do CNJ encontraram nos cartórios, especialmente nos de registro imobiliário, a propriedade tinha originalmente 75.190 hectares. Graças à manipulação irregular dos números anotados nos livros de registro do cartório de Vitória do Xingu, município de 12 mil habitantes vizinho a Altamira, o tamanho da fazenda foi multiplicado por 5.400. Chegou à marca dos 410 milhões de hectares, área equivalente a quase metade dos oito milhões e meio de quilômetros quadrados do País.

Em relatório enviado aos conselheiros do CNJ, a equipe anotou: “O conjunto de erros, falhas, vícios e infrações encontradas autorizam asseverar que a situação dos serviços de registro de imóveis naquela unidade federativa é gravíssima”. O documento observa que a situação abre caminho “para que se consolide a desordem fundiária, com a prática de fraudes que potencializam oe domínio da terra no campo”.

Casos de terras infladas no papel são comuns, mas esse não é o único problema. Naquele pedaço da Amazônia Legal onde, por natureza, já é difícil ter ideia de onde começam e terminam as propriedades, públicas ou privadas, os inspetores do CNJ constataram que os cartórios facilitam a vida dos fraudadores. Os títulos de terras são emitidos aos montes, sem qualquer rigor. Na prática, atestam “propriedades virtuais”, muitas das quais se sobrepõem umas às outras.

Muitas vezes, as irregularidades são patrocinadas por quem deveria combatê-las. O cartório de Vitória do Xingu, onde apareceu o registro da fazenda do tamanho de meio Brasil, foi aberto para lavrar certidões de nascimento e acabou autorizado, posteriormente, a funcionar também como registro imobiliário. O aval partiu da Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça do Pará, justamente o órgão que, legalmente, deveria fiscalizar a atividade.

Anúncios
Comentários
  1. Eugênio diz:

    Pois é camarada, é porque se eu colocar o meu nome todo ninguém acredita o porque e, como, um nissei pode defender tanto e, ser tão metido a conhecer o BraSil. Muitos amigos me dizem que eu sou o japonês mais falsificado que existe no mundo, dizem que eu fui produzido em Cingapura.
    Confesso e reconheço que estudei e pesquisei um pouquinho a cultura nordestina e a história política e sociológica braZileira, o diferencial não é o meu, é do próprio braZileiro não se interessar em estudar o BraZil e prefere o que a mídia corrosiva impõe.

    Sofri muito racismo e xenofobia, apesar de ser brasileiro nato eu tenho os olhos apertadinhos, sou filho de um descendente de samurai com cangaceiro, é uma mistura explosiva.
    Nasci no alto sertão nordestino em terras de coroné, em plena Ditadura Militar, num pós-guerra que o Japão perdeu… Ora, conheces um povo mais racista, revanchista e xenófobo que o BraZileiro? Tem MUITA gente que não acredita em mim e que diz logo que eu sou um equivocado, será?? A Revisão da Leia da Anistia vai vir por aí para colocar os crimes do DOPS e da SANTINHA IGREJINHA CATÓLICA contra meus ancestrais em pratos limpos. Portanto, camarada, ainda tem muita gente que acha que eu não tenho DIREITO de opinar, diz logo que eu sou japonês ou descendente de japonês e que nada sei de BraZil e que eu não passo de uma farsa, de um troll.

    Nasci na caatinga esturricada, onde o vento faz a curva e o resto do BraZil insiste em não reconhecer. Meu pai aprendeu a falar português através de um Livro Sagrado escrito por um Deus, de alcunha Euclides da Cunha, Os sertões.

    Fui criado lendo Graciliano Ramos, João Cabral de Melo Neto, Guimarães Rosa… escutando Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Acalantos, Incelenças, Cordéis e vendo o povo sambar nas Rodas de São Gonçalo.

    Um abraço, do Eugênio Issamu Kishi

    “…Vi as tantas secas, vi as tantas mortes, pelos caminhos do sertão. Onde os meus olhos viram coisas de cortar o coração. Vi a cara feia da fome, vi o povo virando anão. Vi gente ficando louca sem ter água para beber, a fome comendo a fome na falta do que comer.
    Vi o fim do mundo, vi onde o vento faz a curva, vi a desgraceira e a perdição.
    Vi a mentira revelada pela farsa da televisão, que é um coice no meu estômago, é o descaso de toda a nação.
    E ninguém faz o que se pode para acudir a aflição, só desejando sorte aos nordestinos, meus irmãos.
    O que essa gente precisa: É terra, é justiça, é o verdadeiro trabalho, para se livrar da servidão.
    Se revirar pelo avesso o poder está no sertão. Mas pra que tanta penitência, isso acaba a escravidão?
    E tem terra boa reclamando produção, mas as frentes de trabalho está na terra do fazendeiro, onde o pobre encontra a sina e a morte, e ele, muito dinheiro.
    O que se precisa é a vida pela vida vencendo o cruel, vida aqui na terra e não no reino do céu.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s