Posts Tagged ‘Breno Cortella’

Vereador pelo segundo mandato na cidade de Araras-SP, Breno Cortella fala um pouco de sua trajetória, lutas e propostas, e da importância de derrotar os tucanos no ninho
 
Qual a importância da eleição para o governo de São Paulo? 
Breno Cortella: Precisamos lutar por uma transformação política em São Paulo. Os tucanos governam esse Estado há 16 anos e o mesmo grupo político se revezam no poder há decadas. O Estado de São Paulo precisa estar presente na vida das pessoas com políticas públicas. Não existe ações de governo para os municípios, o Estado não é cobrado, e as pessoas lembram somente das prefeituras e do Governo Federal. Por exemplo, em quase toda delegacia de polícia existem servidores municipais cedidos pelas Prefeituras e a polícia não consegue dar o mínimo de manutenção na frota. E poucos percebem. O mesmo na educação, existe uma aparência que ninguém é responsável pelas escolas estaduais. É preciso dar uma oportunidade para o PT e para o Mercadante transformarem São Paulo com um governo forte, atuante e presente nas demandas sociais.

Como você analisa a Assembléia Legislativa hoje?
Breno Cortella: A Assembléia Legislativa é comandada pelo governo dos tucanos e no meu ponto de vista – como cheguei da dizer da Câmara de Araras na legislatura passada  – é um “Poder Carimbativo” e não exerce a mínimo de representatividade popular.  E aprovam a política privatista dos tucanos como é o caso dos pedágios.  Em 1997, havia 40 praças – todas sob gestão estatal. Agora são 227 – e todas sob concessão privada. Significa que, em 13 anos, os governos do PSDB autorizaram a operação de 187 novos postos de cobrança. Só o Governo Serra autorizou, em três anos, o funcionamento de mais de 80 novas praças de pedágio. E quem paga é a população, esse pedágio abusivo, que sobretaxa o trabalhador. Em 2009, por exemplo, quem passou pelas rodovias pedagiadas do Estado bancou R$ 4,5 bilhões de tarifas — valor superior ao orçamento de alguns estados brasileiros. Privatizou o Banespa e agora vendeu a Nossa Caixa, que, numa saída encontrada foi incorporada pelo Banco do Brasil.

E o que falta na Assembléia de São Paulo?
Breno Cortella: Tansparência, representatividade e participação popular. Como deputado quero ajudar combater as tercerizações e pelo fortalecimento da Democracia do Estado. Defender a regulamentação da democracia direta (plebicito, referendo e iniciativa popular), a participação no controle social  e o fortalecimento e a integração entre os mecanismos de democracia participativa  com os conselhos. A população precisa participar, e saber das decisões tomadas pelo Governo. Precisamos ampliar a força do PT no parlamento paulista e quero cumprir esse papel.

Qual a importância da participação da juventude na política?             
Breno Cortella: Eu comecei militância aos 16 anos no movimento estudantil. Tive logo cedo grande experiência de como é importante a juventude na política. Tenho podido travar vários debates, trazer novas idéias e propostas, com uma visão diferente de muitos que ainda querem fazer política à moda antiga. Mas muita gente tem acreditado em jovem na política. Isso me anima muito. E os jovens acabam também conseguindo repercutir suas demandas levantar essa bandeira e juntos discutir políticas públicas de juventude.

Com sua militancia no movimento estudantil, como você avalia a Educação de São Paulo?
O Estado de São Paulo apesar de ser o mais rico da federação, tem uma das piores qualidade de ensino do país. É possível usar uma expressão do  professor Mário Sergio Cortella, um “pedagocídio”. A qualidade do ensino nas escolas paulistas é o reflexo do descaso do poder público. A aprovação automática precisa acabar. É necessária a ampliação das vagas nas universidades estaduais e expansão dos campi. Também o aumento das escolas técnicas. São Paulo precisa investir em infraestrutura, formação continuada dos servidores e radical mudança no planejamento pedagógico. Para fazer educação tem que ter um olhar no futuro. Falta o básico da informática, e a tecnologia hoje é parceira pedagógica. 

Como você vê esse salto de um mandato vereador para deputado estadual?
Como um grande desafio. E tenho aprendido e me formado em cada embate eleitoral.Tenho a convicção que minha candidatura está alicerçada em vários grupos de apoio que tenho em diversas regiões e que meu mandato é para ajudar o meu estado e meu país, com propostas de mudanças voltadas principalmente para a defesa da educação, juventude, segurança, diretos humanos e pela agricultura familiar sustentável.  Sempre estive envolvido nos movimentos sociais, dos trabalhadores, pela luta da moradia digna e na defesa dos estudantes. Sempre fui coerente com os ideais do socialismo petista. O objetivo do meu mandato democrático-popular é travar debates e lutar contra qualquer tipo de discriminação. São por esses motivos, que é importante que a esquerda petista de Sâo Paulo esteja de volta na Assembleia. E vamos juntos com Dilma, Mercadante, Marta e Netinho.
 

            Breno Cortella é uma revellação política do nosso Estado. Aos 16 anos, iniciou militância no movimento estudantil segundarista e aos 17 anos, foi o primeiro presidente da Câmara-Jovem de Araras.

Em 2003, atuou na defesa dos direitos dos estudantes pelo direito da meia entrada em um grande evento da cidade. Nas eleições de 2004, apoiado por movimentos sociais, estudantis, da juventude e por setores do município que buscavam mudanças no legislativo, candidatou-se a vereador. Sua campanha trouxe à tona a atuação democrática e popular dos mandatos petistas e a ideia de que a juventude pode ocupar os espaços institucionais e contribuir para a transformação da sociedade.

Com 19 anos, foi eleito vereador e reeleito em 2008 como o segundo vereador mais votado. Aos 25 anos, é advogado e atual líder da bancada do PT  e vice presidente da Câmara. Breno tem pautado sua atuação legislativa em defesa dos direitos humanos, empenhando-se contra a discriminação racial, a favor dos direitos das mulheres, pela defesa do meio ambiente, pelos direitos dos servidores públicos, em defesa do direito à moradia, em defesa à educação pública, na luta por benefícios para a terceira idade, em prol da juventude e pela cidadania LGBT.  Como o mais jovem candidato a deputado estadual do PT, Breno quer renovação na Assembléia Legislativa e mudanças política de nosso Estado.

O jovem candidato têm propostas de renovação para as áreas de educação, meio ambiente, agricultura, saúde, cultura, esporte, direitos humanos e políticas antidiscriminatórias, desenvolvimento econômico e geração de emprego, habitação, segurança e participação popular.