Posts Tagged ‘Câmara Municipal’

by alexproenca

Fonte: Sindicato dos Condutores de Sorocaba

Urbes não terá dinheiro público para recorrer contra os ex-funcionário da TCS.

Os trabalhadores do transporte público de Sorocaba realizaram na manhã desta sexta-feira, 16, um protesto na Câmara Municipal e garantiram a rejeição do projeto de lei da Prefeitura que solicitava a liberação de R$ 1 milhão para a Urbes – Trânsito e Transportes recorrer de ações trabalhistas movidas pelos ex-funcionários da TCS (Transporte Coletivo Sorocaba).

A Justiça condenou em segunda instância a Urbes, na condição de responsável solidária, a pagar, junto com a TCS, todas as verbas rescisórias as quais os ex-funcionários da TCS têm direito. A Urbes, que é uma empresa pública de direito privado, requereu dinheiro público para recorrer dessa decisão.

Protesto
A adesão ao protesto foi de 100% da categoria. Os trabalhadores começaram a recolher os ônibus para o estacionamento do Paço Municipal às 8h. Todos os trabalhadores das empresas CS (Consórcio Sorocaba) – ex-funcionários da TCS – e da STU (Sorocaba Transporte Urbano) acompanharam a sessão da Câmara Municipal e só retornaram à atividade após a votação e rejeição do projeto de lei.

Em primeira discussão, os vereadores aprovaram o repasse de verba para a Urbes, a votação foi 6 contra e 14 a favor. Na sessão extraordinária ocorrida hoje, todos os 20 vereadores votaram contra o projeto de lei de repasse de R$ 1 milhão para a Urbes.

Histórico
A empresa TCS sofreu intervenção municipal em julho de 2008 por problemas com a Justiça. Em dezembro de 2009, a Prefeitura cancelou o contrato de concessão para a TCS operar o lote 1 do transporte público urbano.

Desde o início da intervenção, o Sindicato bloqueou (arrestou) os bens da empresa como garantia de pagamento dos trabalhadores e entrou com processos na Justiça para assegurar o pagamento de todas as verbas rescisórias.

A Justiça reconheceu o direito dos trabalhadores de receber as verbas rescisórias e os processos continuam tramitando para ver quem pagará as dívidas trabalhistas.

 Os 84 mil e seiscentos e tantos  moradores de Votuporanga que não tiveram a oportunidade de comparecer na sessão legislativa desta segunda, nada perderam em ficar aquecidos na tarde fria em suas casas, tomando um leitinho quente com chocolate, ou até mesmo um vinho quente com bastante gengibre.

          Apesar do clima fresco, o tempo até que deu uma esquentada quando alguns vereadores usaram a tribuna para rebater críticas desferidas pela secretária municipal de saúde Fabiana Parma, críticas estas ocorridas numa audiência pública em 27/04, onde o tópico principal havia sido a possível falta de medicamentos na rede pública de saúde.

          O presidente  Mehde Meidão ocupou a tribuna e se mostrou contrariado com as críticas aos vereadores, feitas pela secretária. O velho leão lascou severas dentadas na secretária, inclusive lembrando-a das atribuições do seu cargo, já que parece que ela estava tentando legislar no lugar dos vereadores. Enalteceu o seu preparo para a função, inclusive frisando o quão conhecedora é dos problemas, haja visto o tanto que viaja pelo Brasil inteiro e até pelo exterior nesta busca do conhecimento. A certa altura, não ficou muito claro se este preparo todo mencionado seria um elogio ou um escárnio, mas para bom entendedor meia palavra basta, e ele continuou cobrando mais empenho na solução dos problemas relacionados a saúde no município. Depois lambeu-a suavemente com elogios referentes a inauguração do sistema integrado UPA/SAMU.

          Enquanto mordia, o velho leão falou das dificuldades encontradas pela população para ter acesso aos medicamentos gratuitos e da difícil peregrinação que o serviço exige.

          Parece que o velho leão se sintonizou nos avanços odontológicos e tudo indica que ele se submeteu a um implante dentário, pelo menos é o que vem sinalizando com as mordidas dos últimos tempos. Tá certo que ele viciou em morder e assoprar, mas o cacoete não tem sido barreira e ele está mordendo mais do que assoprando. Deve ser mais um milagre atribuído ao papa Wojtyla, ou então de algum odonto-veterinário conveniado da câmara.

          O vereador Osvaldo de Carvalho também ocupou a tribuna, mas foi só pra passar o filminho da sua viagem à Brasília no telão da câmara, onde aparece ao fundo do gabinete panorâmico do deputado Waldemar da Costa Neto,  paisagem belíssima das margens do lago Paranoá – “Santa mama Brasília/ Se tuas tetas secam, teus filhos morrem/ Tuas fontes param de jorrar/ Menos o Paranoá…” (poema candango anônimo). No mais, foi só jogar água benta no discurso inflamado do Meidão, rasgação de seda nas inaugurações da saúde, publicidade das doações da CONAB e propagandear à nova campanha de ilusão pública municipal – Votuporanga, “Capital da Saúde”. Se eu tivesse a oportunidade de nominar o filminho do vereador Carvalho, ele se chamaria: “O Escolhido”. Não tem pra ninguém!!!

          Não querendo desmerecer  os outros usuários da tribuna (Zé Carlos, Eliezer e Silvão), nem relegá-los à insignificância dos seus discursos, mas já desmerecendo e relegando, o ponto alto das sessões vem sendo mesmo o mandato surpreendente do vereador Emerson Pereira. Não tendo larga experiência parlamentar e nem trânsito fácil na CONAB, o que lhe resta é “metê a boca no trombone” para se fazer notado e não ficar nulo como os demais do baixo-clero legislativo municipal. Então, do alto da veemência habitual com que faz uso da palavra na defesa das questões dos seus representados, ele esclareceu o atrito ocorrido com a secretária Fabiana e ainda reafirmou as suas posições quanto à dificuldade de se conseguir medicamentos na rede pública de saúde, tendo os usuários, obrigatoriamente, de impetrar ações na Justiça para conseguir estes medicamentos. Ao final da sua alocução vibrante, veio o surpreendente aparte pedido pelo vereador Colinha – Mais um milagre que certamente será atribuído ao papa Wojtyla, ou então ao novo santo que também foi canonizado nesta semana, o santo da papoula Osama Bin Laden. O Colinha, no bom populacho, atravessou as idéias do Emerson pra dizer que logo logo teremos que montar uma farmácia municipal lá no Fórum, assim o usuário faz o pedido do medicamento, que nunca tem disponível, e já encaminha uma ação na Justiça, sem ter que sair do prédio. Notei na face dos presentes a vontade de aplaudir e assoviar, como quando acontece uma jogada fenomenal num estádio de futebol, mas a platéia conteve-se. Até o final do mandato esse menino solta a língua!!!

          Sinto dizer-lhe Colinha, mas esta sua idéia não pega. Se tivesse que construir um prédio, mobiliá-lo,  colocar uma praça na frente, encher de bancos e tarecos e, depois de pronto assentar uma dúzia de partidários lá, certamente sua idéia teria acolha, mas só uma salinha no Fórum não dá, é inviável.

          A matéria que trata de emenda a Lei Orgânica que altera de 65 para 60 anos, a  idade dos usuários do transporte coletivo municipal gratuito ficou mesmo pra depois. O vereador Silvio de Carvalho, líder do governo, pediu vistas ao documento para que o prefeito possa analisar melhor os efeitos desta lei.

          Os vereadores aprovaram novamente mais uma lei que prorroga a obrigatoriedade da criação de um fundo complementar das aposentadorias dos servidores públicos municipais. O prazo final foi arrastado para 30/07/2011. Parece que esta legislatura, junto com o prefeito, querem continuar levando o assunto em banho-maria. Popularmente, é o “deixa como está pra ver como é que fica”.

          No balanço geral, pelo teor dos discursos de ontem, parece que a teoria da Capital da Saúde ainda não contaminou a todos. Mas é só uma questão de tempo, pois com o esforço conjunto da mídia local, esse mantra vai virar fato consumado muito em breve!!!

HUMOR CAIPIRA DA TERRA

Diego Zanchetta, de O Estado de S.Paulo.

Sete vereadores do PSDB de São Paulo anunciaram em coletiva nesta segunda-feira, 18, que estão deixando o partido. Embora haja especulações sobre a ida de alguns destes quadros para o novo PSD, do prefeito Gilberto Kassab, o futuro dos parlamentares segue incerto. O presidente da Câmara Municipal, vereador José Police Neto, está entre os dissidentes.

Segue a lista dos vereadores que estão deixando o partido:

José Police Neto

Juscelino Gadelha

Ricardo Teixeira

Natalini

Dalton Silvano

Adolfo Quintas

Souza Santos

Com a saída dos vereadores, a bancada do PSDB na Câmara Municipal, que tinha 13 integrantes, passa a ter apenas seis. Agora, o PT será o maior partido da Casa. Segundo informações de bastidores, outros dois vereadores do PSDB podem deixar a sigla.

A decisão anunciada nesta segunda é resultado de uma disputa interna entre o grupo do governador Geraldo Alckmin e os vereadores da capital paulista, que disputavam espaço para definir os rumos do partido na eleição municipal do ano que vem. O racha se agravou na semana passada, após a eleição do secretário estadual de Gestão Pública, Julio Semeghini, para à presidência do diretório municipal. Semeghini foi uma indicação de Alckmin.

Na semana passada, os dois grupos negociavam um acordo sobre a composição da executiva do partido. Neste fim de semana, entretanto, veio à tona o conteúdo de uma reunião do diretório no qual integrantes do grupo de Alckmin teriam feito fortes críticas e ironias contra os vereadores. A repercussão teria sido o estopim para a debandada.

“É muito ódio contra nós no partido, por causa do compromisso que cumprimos em 2008 (apoio ao Kassab na eleição municipal)”, disse Natalini nesta segunda durante a coletiva.