Posts Tagged ‘CT – Conselho Tutelar’

Written by murilopohl

Ficou barato, por enquanto…

 

Cabe mesmo aos municípios oferecer as condições adequadas de funcionamento ao Conselho Tutelar – CT. O cumprimento de adequado exercicio das funções do CT é um dos pilares centrais do SGD – Sistema de Garantia de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes.  Alem de veículo, computador, impressora, telefone e sede adequada, outros requisitos deverm ser disponibilizados, como acesso à internet, auxiliar administrativo, telefones celulares, etc. Se é verdade que o prefeito permitiu que  “o CT  continuasse funcionando de forma precária no prédio do Centro de Saúde do Município”. Por isto ele deve responder e ser responsabilizado.

A Constituição Federal estabelece várias prioridades para a ação da sociedade brasileira e especialmente para o Estado brasileiro. Estabelece tambem o poder/dever dos Governantes decidirem a ordem das prioridades de acordo com seu livre convencimento, considerando as peculiaridades locais (Poder Discricionário). O próprio texto constitucional, entretanto, limita a liberdade de decidir ao expressamente estabelecer uma única prioridade constitucional absoluta: a garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. 

Segundo a matéria publicada pelo Jornal Folha do Noroeste, que abaixo transcrevemos, a condenação do ex-prefeito tem foco na locação de imóvel cuja utilização foi imprópria. Trata-se de devolução aos cofres públicos dos valores gastos. Aparentemente, isto está correto e aponta para a paulatina evolução dos mecanismos para a fiscalização dos atos dos Governantes no trato com o patrimônio público.

Mas fica uma pergunta que não quer calar. A afronta ao expressamente estabelecido na  Carta Magna não deveria ser motivo, tambem, de cobrança? Até quando os mandatários vão continuar achando que podem decidir que “estocar móveis” ou qualquer outra coisa, é prioridade? Até quando continuaremos a assistir parados atitudes que tornam letra morta nossa Carta Magna e desrespeitam a prioridade absoluta constitucional ? Ou alguem pensa que ainda não está explicito suficientemente bem o que seja adequado funciomento do Conselho Tutelar ?

O texto tem alguns grifos, são nossos. Boa leitura. 

Justiça condena ex-prefeito Joaquim a devolver valores pagos em aluguéis

 

 Em sentença publicada no final de dezembro passado, a juiza de direito Marina de Almeida Gama, da Vara Única de Urânia, julgou procedente a Ação Civil Pública de Ressarcimento de Dano, proposta pelo Ministério Público Estadual contra Joaquim Pires da Silva, ex-prefeito de Urânia.

O Ministério Público Estadual deu valor à causa em R$ 3.420,00.
Segundo a ação civil proposta pelo Ministério Público, o ex-prefeito Joaquim Pires da Silva havia contratado o aluguel de um prédio para acomodação exclusiva do Conselho Tutelar do Município de Urânia e, após, teria lhe conferido utilização diversa e inadequada, permitindo que “o Conselho Tutelar continuasse funcionando de forma precária no prédio do Centro de Saúde do Município”.
Segundo a sentença, o réu Joaquim Pires da Silva se manifestou alegando que “não há que se falar em ressarcimento ao erário, uma vez que foi dada ao prédio alugado uma finalidade pública” que na época dos fatos, segundo alegou, era prioritária e urgente

Leia mais: http://arededacidadania.wordpress.com/2011/01/22/urania-sp-prioridade-absoluta-ex-prefeito-transformou-sede-do-conselho-tutelar-em-deposito-foi-condenado/

Anúncios

Três mulheres foram presas por suspeita de exploração sexual de adolescente. A prisão foi efetivada no fim de semana na cidade de União dos Palmares, a cerca de 80 km de Maceió (AL). Segundo as investigações, as suspeitas teriam promovido uma festa onde seria leiloada uma virgem adolescente e haveria rifas de sexo oral.

As informações chegaram pelo Conselho Tutelar de Alagoas e levou a uma investigação da Polícia Civil do Estado. Os policiais também encontraram no bar denunciado duas adolescentes ingerindo bebida alcoólica.

O delegado pediu à Justiça a prisão preventiva das promotoras do evento e do dono do bar

Fonte: terra.com.br

Cabe informar que não há nada que agradescer. É obrigação do município, por Lei, oferecer TODAS as condições necessárias para a eleição do CT, inclusive transporte. A bem da verdade não cabe sequer ao Vereador solicitar. Cabe ao CMDCA DETERMINAR e ao Prefeito cumprir.

 

Considerando as intencionalidades, tudo bem.  Mas para um município do tamanho de Araras… não houve participação popular, ninguem foi votar.  Segue a noticia:

                O vereador Breno Cortella agradeceu a Prefeitura, durante a sessão da Câmara, na segunda-feira (13), por ter atendido sua indicação e cedido um ônibus para o transporte gratuito das pessoas que participaram da eleição dos novos integrantes da diretoria do Conselho Tutelar de Araras.

A eleição foi realizada no domingo (12), com votação na Escola Estadual “Cesário Coimbra”  e contou com a participação de 4,7 mil eleitores.

O ônibus saiu da praça Jorge Assumpção, no José Ometto 1, às 8h, 10h, 12h e 14h, direto para a Escola Cesário Coimbra. Na volta, os horários de saída da escola foram às 9h, 11h, 13h e 15h.

Para o vereador a gratuidade do transporte público no dia da eleição garantiu a igualdade de condições entre os candidatos e possibilitou uma maior participação da população. “Foi apenas um ônibus, mas este já é o começo e confirma que a administração tem se preocupado com o Conselho Tutelar, que realiza um importante trabalho no município na defesa dos direitos da criança e do adolescente”, comentou o vereador.

Breno Cortella enfatizou que para as próximas eleições continuará reivindicando para que a Prefeitura disponibilize ônibus para a escolha dos conselheiros. “Essa eleição não é obrigatória, mas dá oportunidade da população escolher quem realmente quer a frente do Conselho Tutelar, para cuidar das crianças de nosso município”, observou.

Na eleição de domingo foram escolhidos cinco membros e cinco suplentes que irão integrar o Conselho Tutelar para o próximo triênio. No entanto, somados os votos, a renovação da equipe será de 40%, com a reeleição de três titulares e a eleição de dois novos membros.

                 Silvia Cornia conquistou a primeira colocação com 1.518 votos, seguida de Kátia Regina Albertini, com 1.042 votos. Ambas já exercem a função de conselheiras. Em terceiro lugar, elegeu-se, com 428 votos, Julia Furlan Bovo. Na quarta colocação ficou, a já conselheira, Rosângela Zanotti, com 384 votos, seguida da nova eleita Natalia de Souza Benevenuto, com 331 votos. 

Com informações da Secom/PMA

De novo a Rede Globo, no seu site G1, tendenciosa, apoia O PROJETO CRIANÇA DESESPERANÇA. Mostra cidades da Bahia copiando o toque de recolher para criança e adolescente de Fernandópolis SP como uma medida de sucesso. Foi um fracasso, transformou Fernandópolis em uma gigantesca cracolândia.
Cidades pequenas como Antonio Cardoso, Epicaetá e Santo Estevão no interior da Bahia, adotam a medida desastrosa e inconstitucional do toque de recolher, com medidas mais duras e menos democráticas ainda. Cidades muito mais pobres com tendência ao povo menos esclarecido, aceitam as medidas truculentas e injustas como naturais. Assim como povo menos esclarecido aceita a corrupção como inevitável.
Em São Paulo, não deu certo em Fernadópolis, o CONANDA deu em cima e a ação está desmoralizada. Não proliferou para todo estado como era a intenção.
Impedir criança e adolescente de circular pela cidade, não dimuniu a violência e não educa.
Repressão no lugar de educação sempre traz resultados desastrosos e produz resultado contrário.
Responsabilizar criança e adolescente pelo tráfico de drogas e pela violência é uma estupidez, uma vez que apenas um por cento dos crimes são cometidos por adolescentes sózinhos.
Em Fernandópolis SP,  a polícia militar saiu “enquadrando” aluno que cabula aula, com direito a ser filmado pelas câmeras da televisão, e os policiais dando entrevista, felizes, como se tivessem acabado de prender um bandido perigoso que oferecesse risco para toda sociedade.
Esqueceram perseguir os traficantes, que tomaram conta da cidade ???
Escola é direito, se é direito é obrigação do estado oferecer nela um ambiente acolhedor e produtivo. Se aluno é obrigado a permanecer ali por força de lei, e proibido de faltar, é uma cadeia. Cadeia coletiva. E na Bahia começa a repressão a partir dos 4 anos de idade.
Os pais do aluno “fujão” serão penalizados da  com multa de 20 salários minimos, numa cidade onde o povo sobrevive com salário mínimo ou com os programas Fome Zero do Governdo Federal que são 10,00 reias por pessoas ao mes. Ameaçar os pais com uma multa assim descomunal é um terrorismo atróz, brutal….
Se conhece o grande pelo modo com que trata o pequeno. Que tipo de justiça é essa, e que tipo de cidades dão essas da Bahia, onde impera essa lei responsabilizando os pequenos a partir dos 4 anos. Se é um lugar onde é obrigado a ficar, sem nenhum direito de defesa e nenhuma regalia, ficar ali na marra, é uma cadeia.  Então podemos dizer que em Santo Estevão , Antonio Cardoso e Epicaeta na Bahia, o rebaixamento da idade penal foi para 4 anos de idade. Pior ainda, sem nenhum crime. Nasceu pobre na Bahia e com azar de ser pobre nessas cidadezinhas, aos 4 anos é preso sem ter cometido ainda nenhum delito. Uma espécie de prisão preventiva, sem nenhum motivo.
Ficarão presos até os 18 anos, depois salve-se quem puder, com acontece em Fernandópolis.
A PODEROSA GLOBO no seu site, se esqueceu desse lado.  Se a função da imprensa é informar, ela não informou que em Fernandópolis não deu certo, não podia dar.
A diferença é que no Estado de São Paulo o povo é minimamente mais esclarecido que na Bahia, pelo jeito. Aqui o povo está reagindo…. Educando os jovens evitaremos punir os adultos.
Na Bahia já pune criança a partir dos 4 anos e terão que construir novos presidios, isso se esses futuros revoltados, transformados em criminosos pela sanha e incoerência dos adultos, não migrarem para São Paulo e Rio de Janeiro…. 
Todos pagaremos a conta dessa insanidade. Em plena época eleitoral, se comete uma barbaridade dessas e nenhum candidato fala disso. Calam e quem cala consente.


“Governo que não respeita a Defensoria Pública, não respeita os direitos da sua população!”

cremildaestella@hotmail.com

O Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM) foi criado em 2003, como uma das estratégias do Governo Federal para o enfrentamento do tema da letalidade infanto-juvenil. Instituído oficialmente em 2007, pelo Decreto 6.231/07, integra a Agenda Social Criança e Adolescente, no âmbito do Projeto “Bem me quer”. Outro Marco para a proteção de crianças e adolescentes ameaçadas de morte foi a criação do Sistema de Proteção no PPA 2008-2011 e a vinculação do PPCAAM a este Sistema.
O Programa atua em dois níveis:

1 – No atendimento direto aos ameaçados e suas famílias, retirando-os do local da ameaça e inserindo em novos espaços de moradia e convivência. Buscando a construção de novas oportunidades para os protegidos, por meio do acompanhamento escolar, inserção em projetos culturais e possibilidade de profissionalização, dentre outros;

2 – Na prevenção, por meio estudos e pesquisa, bem como a apoio a projetos de intervenção com adolescentes em situação de vulnerabilidade. Em julho de 2009, foi lançado o Projeto de Redução da Violência Letal (PRVL) juntamente com Observatório de Favelas e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Uma das ações foi a apresentação do Índice de Homicídios na Adolescência (IHA).

O PRVL pretende mobilizar sociedade e poderes públicos para construir uma agenda comum de enfrentamento ao grave problema da letalidade de adolescentes e jovens no país. É desenvolvido em três eixos:
o Articulação Política – com ações de advocacy nacional e de mobilização, buscando desenvolver estratégias de sensibilização e fortalecimento das redes locais.
o Produção de Indicadores – construção de mecanismos de monitoramento dos homicídios de adolescentes e jovens que possam subsidiar políticas de prevenção da violência letal. Desenvolvimento e análise de evolução do IHA.

Mapeamento de metodologias de prevenção e redução da violência letal – com identificação, análise e difusão de metodologias que contribuam para a prevenção da violência e, sobretudo, para a diminuição da letalidade.

O Índice de Homicídios na Adolescência – IHA estima o risco de mortalidade por homicídios de adolescentes em um determinado território. Desenvolvido para cidades com mais de 100 mil habitantes, aponta que mais de 33 mil vidas de adolescentes serão perdidas por homicídio até 2011, caso as condições permaneçam as mesmas.
Mais de 15 mil somente nas capitais do país. O estudo aponta, ainda, que os homicídios já correspondem a 45% das mortes nesta faixa etária (25% morte natural e 22% acidentes); além disso, a análise do risco relativo indica que o risco para os homens é 12 vezes maior do que para as mulheres; negros possuem 2,6 vezes mais probabilidade de serem assassinados e as armas de fogo aparecem com uma incidência 3 vezes maior dos que as demais.

Em função desse diagnóstico, foi constituído um Grupo de Trabalho Nacional, já em andamento, com participação de gestores municipais, estaduais e governo federal, que tem como objetivo identificar estratégias de enfrentamento ao problema, bem como formular as bases para a construção de uma política nacional de redução da violência letal.

O PPCAAM é executado em oito estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Distrito Federal, Pará, Pernambuco e Alagoas) e se encontra em fase de implantação na Bahia, Rio Grande do Sul e Paraná. Desde sua criação, já estiveram em proteção 3.731 pessoas, sendo 1.501 crianças e adolescentes e 2.230 familiares. No ano de 2009, atendeu 1.383 pessoas, sendo 538 crianças e adolescentes e 845 familiares.

A previsão é que, em 2010, o PPCAAM esteja implantado nas 11 regiões de abrangência da Agenda Social Criança e Adolescente bem como conte com um Núcleo Técnico Federal, capaz de atender a casos emblemáticos nos estados não cobertos pelo Programa.

O perfil do protegido PPCAAM se apresenta como: sexo masculino (76%), raça/cor negro (75%), 15-17anos (59%), ensino fundamental incompleto (95%), morava na capital (63%), principal referencia familiar é a mãe (75%), a renda familiar até 1 SM (57%), ameaçado devido ao envolvimento com o tráfico (60%), entrou no PPCAAM encaminhado pelo Conselho Tutelar e Poder Judiciário (70%), protegido na modalidade familiar (42%) e institucional (34%), permaneceu no PPCAAM por cerca de 06 meses (53%) e foi desligado por consolidação da inserção social e cessação da ameaça (50%).

O PPCAAM tem por objetivo preservar a vida das crianças e dos adolescentes ameaçados de morte com ênfase na proteção integral e na convivência familiar. A identificação de ameaça de morte é realizada pelo Poder Judiciário, Conselhos Tutelares e o Ministério Público, instituições caracterizadas como “Portas de Entrada”, sendo as mesmas responsáveis pela fiscalização e aplicação da garantia dos direitos das crianças e adolescentes. O procedimento de inclusão da criança e do adolescente no sistema de proteção se efetua em 5 etapas: 1) Identificação da ameaça de morte, composto por uma pré-avaliação, solicitação de inclusão, entrevista de avaliação e análise para inclusão; 2) Acomodação em local seguro; 3) Inserção em equipamentos sociais de proteção integral; 4) Desligamento e 5) Acompanhamento pós-proteção.

A proteção é efetuada retirando a criança e o adolescente ameaçado de morte do local de risco, preferencialmente com seus familiares, e inserindo-os em comunidade segura. Prima-se pela garantia de sua proteção integral através de inclusão de todos os protegidos em serviços de saúde, educação, esporte, cultura e se necessário, em cursos profissionalizantes, políticas de assistência social e mercado de trabalho.

30.07.10 | 12h54 – Atualizado em 30.07.10 | 16h06
 

Eduardo Zeferino, de Dom Aquino, criou um programa infantil para se aproximar das crianças; MPE pode pedir prisão preventiva
MidiaNews


Ministério Público pode pedir a prisão preventiva do prefeito Zeferino, de Dom Aquino

  • MAYARA MICHELS
    DA REDAÇÃO 

    Em um dos casos mais graves de  pedofilia em Mato Grosso, a Polícia Civil vai descobrindo novos detalhes envolvendo o prefeito Eduardo Zeferino (PR), de Dom Aquino. Além das cinco vítimas já identificadas pela Polícia Civil, outras 11 crianças também podem ter sido molestadas por ele. De acordo com a polícia, as outras vítimas que podem ter sido vítima de abuso sexual são crianças de 7 a 11 anos que participaram de um projeto social criado pelo prefeito.

    Segundo informações de testemunhas, Zeferino formou um grupo, supostamente de assistência social, denominado “Batutinha”, do qual podiam participar apenas crianças de até 12 anos.

    As mães tinham que liberar os filhos para passear com o prefeito. “Ele acariciava as crianças, pedia para elas acariciar o corpo dele”, contou, em entrevista à TV Centro América (Globo/4), a mãe de uma das uma das meninas, que foi molestada quando tinha 8 anos.

    De acordo com as informações do delegado que acompanha o caso, Victor Hugo Teixeira, as investigações sobre o crime cometido pelo político ainda estão no início.

    “Estamos investigando esse projeto criado por Eduardo Zeferino. Temos a informação de que o crime teria sido praticado, também, antes de ele ser eleito. O grupo de crianças visitava a casa dele para almoçar, lanchar e brincar, além de participar passeios que ele oferecia”, contou o delegado.

    Ao MidiaNews, o delegado informou que já começou a tomar o depoimento das meninas e dos pais de cada uma delas.

    Ameaça de morte

    Segundo as informações, o prefeito estaria ameaçando de morte as famílias das vítimas. “Estamos com muito medo. Ele ameaçou a minha família… Tá gerando uma insegurança de sair de casa, de deixar as crianças sozinhas. Temos medo de deparar com alguém que pode nos matar”, afirmou uma das mães, que não não identificada por questões de segurança, em entrevista à TVCA.

    O prefeito de Dom Aquino deve ser intimado para prestar depoimento ainda nesta semana. Além de se defender das acusações de abuso sexual, ele também vai ter que responder perguntas sobre supostas ameaças, que teriam sido feitas aos pais das crianças.

    “Eu sugeri para o procurador-geral de Justiça que peça a prisão preventiva deste prefeito, porque ele tem poder político e tem poder econômico”, afirmou o promotor da Infância e da Juventude, José Antonio Borges.

    Segundo o delegado Victor Hugo Teixeira, a previsão de conclusão do inquérito é de 30 dias. O prefeito continua trabalhando normalmente na cidade. Segundo o delegado, ele nega todas as acusações.

    Outro lado

    A reportagem tentou novamente, nesta sexta-feira (30), entrar em contato com Eduardo Zeferino, porém ele não foi localizado.

    A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que ele está na cidade, mas não dá expediente na prefeitura

     http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=3&idnot=28092

  • ACORDA FERNANDÓPOLIS, ESTE ANO TEM ELEIÇÃO. HORA DE DAR O TROCO

    Por Cremilda Teixeira.

    Não é a primeira vez que a Rede Globo divulga um abuso que Fernandópolis comete contra aluno de escola pública. Agora a policia militar vai sair nas ruas a caça de alunos que matam aula.
    São bonzinhos. Os alunos não serão algemados, podem entrar no camburão expontâneamente e serão despejados de volta na escola, diante de todos. Se não quiser sua familia será processada e será investigada. A escolha é bem democrática. Ou a algema ou entra sob livre e expontânea pressão. Não está explicado se o pescoção faz parte do convencimento.
    Em Fernandópolis, acontece sempre esse tipo de abuso contra aluno. Sempre divulgado pela Rede Globo, mas assim, como se fosse uma coisa normal. Para relembrar e comentar todos fica dificil, que são muitos, mas um deles é o caso da aluna que reagiu à agressão da professora, e foi presa.
    Sua familia punida com sermões semanais aplicados pelas autoridades e pela direção da escola.
    A punição da aluna, foi acrescida porque seu pai quando solteiro teve uma passagem pela policia.
    Então nessa linha, melhor aluno entrar no camburão e voltar para a escola, que se for feito com rigor uma investigação da sua família, pode ser que tenha lá atrás alguma bisavô com passagem pela policia para acrescentar na pena que o aluno vai cumprir ou quiçá a familia toda.
    Coisas assim inacreditáveis acontecem em Fernandópolis, que fazem a Ronda Escolar de São Paulo parecer um coro de anjinhos.
    Em São Paulo, a Ronda Escolar socorre a escola prontamente para resolver problema de disciplina na escola, mas não sai a caça de aluno sem escola. Aqui se joga aluno fora da escola.
    Não sei qual é o pior….
    Sei que este ano em Fernandópolis, também tem eleição.
    Lembro que se a cidade é inimiga dos alunos, seus pais poderão dar o troco na urna.
    Que as autoridades, vereadores, deputados, conselheiros tutelares, são responsáveis por ação ou omissão…
    Voto é um santo remédio, se Fernandópolis não sabe usar, é hora de aprender.
    Quando o voto do pai humilhado por conta de uma travessura do filho, cai na urna, vale o mesmo que o voto de um Juiz de Direito, do Comandante da Policia Militar e do Secretário de Educação
    Acorda Fernandópolis e dá o troco….

    27/07/2010 10:30
     
    Arquivo – Diógenes Santos
    Fagundes diz que a exploração sexual infantil está se alastrando.

    A Câmara analisa o Projeto de Lei 7269/10, do deputado Wellington Fagundes (PR-MT), que prevê a interdição de estabelecimentos e instituições que facilitem ou promovam a exploração sexual comercial e o aliciamento de crianças e adolescentes.

    Em caso de flagrante, de acordo com a proposta, o estabelecimento será imediatamente lacrado e impedido de funcionar. Já o proprietário ficará proibido de participar de sociedade em quaisquer outros estabelecimentos comerciais, uma vez comprovada sua responsabilidade por decisão judicial transitada em julgado.

    Citando dados da Matriz Intersetorial de Enfrentamento da Exploração Sexual Comercial de Crianças e Adolescente (trabalho coordenado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República), o deputado afirma que a exploração sexual contra crianças e adolescentes vêm se intensificado, se interiorizando e alcança hoje cidades pequenas e pobres em todas as regiões do País, não apenas cidades litorâneas ou turísticas.

    “Dos 5.561 municípios brasileiros, ocorre exploração sexual de crianças e adolescentes em pelo menos 937. O número representa quase 17% das cidades do País”, afirma o deputado.

    Tramitação
    O projeto será examinado de forma conclusivaRito de tramitação pelo qual o projeto não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo. O projeto perderá esse caráter em duas situações: – se houver parecer divergente entre as comissões (rejeição por uma, aprovação por outra); – se, depois de aprovado pelas comissões, houver recurso contra esse rito assinado por 51 deputados (10% do total). Nos dois casos, o projeto precisará ser votado pelo Plenário. pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

    Por: Cremilda Teixeira.

    A maioria das pessoas não sabem que a Fundação Casa é uma escola. Administrada pela Secretaria de Justiça com a obrigação e o dever de ter professores fornecidos pela Secretaria de Educação.
    Que adolescente e criança confinados na Fundação Casa sai pior do que entra todos sabemos.
    Verba a Secretaria de Educação tem de sobra, temos os impostos mais altos do mundo e a Secretaria recebe ajuda e verba de Ongs, bancos, empresas, a ponto de sobrar todo ano cerca de um bilhão de reais, que são divididos entre os professores em forma de bônus.
    Fechamos escola aos montes, só no ano de 2005 foram 300 escolas fechadas.
    Os adolescentes que a escola joga na rua são matriculadas na escola do crime e de lá para a Fundação Casa.
    Uma escola sem professores.
    Professor concursado e formado não vai escolher trabalhar na Fundação Casa .Alí é ter o mínimo de regras que a Secretaria de Justiça estabelece. Vai escolher a moleza da Secretaria de Educação, sem regras e sem peias, na impunidade total ? A verdadeira festa do caqui.
    Agora as vésperas das eleições o Secretário de Educação resolve através de uma portaria que as Diretorias de Ensino podem contratar professores estudantes. Isso para evitar aula vaga.
    A Fundação Casa fica de fora.
    Por conta de um Projeto da Pasta, a Secretaria de Educação de São Paulo, determina que a portaria não serve para os alunos da Fundação Casa.
    O aluno da Fundação Casa, continua custando mais caro que aluno de escola comum, só que não tem direito de escola.
    Aluno de escola comum pode ter professor estudante, que muitas vêzes é um educador. Professor escola forma, mas educador nasce feito.
    Então, privado de liberdade ele é punido duas vêzes e privado do direito que a Constituição diz que garante.Preso numa escola sem professores.
    Professor de Filosofia e Sociologia então, nem pensar. Que esses alunos com essas matérias podem vir a aprender a pensar, e isso nao interessa para o nosso governo.
    Fundação Casa é a galinha dos ovos de ouro.
    Periga usar a sua amarga experiência na Fundação Casa e querer mudar a situação que interessa a atual autoridade de educação.
    Aluno pobre se for rebelde, sem escola de qualidade, angaria tres vagas:
    Fundação Casa, Penitenciària e uma vala comum de cemitério público.
    Ou se conforma ou vai para a Fundação Casa, para começar.
    Professor ? Nem pensar ?
    Quem vai querer reivindicar professor para a Escola Fundação Casa ????
    A cara de pau e a certeza da impunidade é tão grande que me mandam o documento explicando carimbado e assinado.
    Este ano tem eleição…..tem eleição…
    tem eleição….

    EU SÓ QUERIA ENTENDER…

    O Secretario de Educação de São Paulo, entende e poderia explicar, para quem não entende e paga a conta.
    Nada mais justo, salvo melhor juízo.
    A Unidade Leopoldina, estaria para fechar, depois vem a segunda informação que está com a lotação completa de 70 internos.
    Fundação Casa é considerada uma unidade educacional. Alguém pode entender escola sem professores ?
    Até pode, que se em escola normal o que mais faltam são professores, mas os alunos da Fundação Casa estão privados de liberdade. Privados de liberdade numa escola, professor é excencial. A gente sabe que ali é cana dura mesmo, mas vamos fazer o jogo do contente e imaginar que é uma escola. Se é uma escola especial, devia ter como diferencial, os professores ensinando.
    Funciona, ou melhor, deveria funcionar assim.
    A Unidade da Vila Leopoldina, informa a E.E.Reinaldo Ribeiro os professores que faltam. A escola manda para a Diretoria de Ensino Centro Oeste o número de professores que faltam.
    A Diretoria Centro Oeste então seleciona os professores temporários e eventuais para a E.E.Reinaldo Ribeiro, que faz o registro do professor e envia para a Fundação Casa.
    Na prática é assim Meio confuso um jogo do vai para lá e vai para cá, mas que no final , não funciona.
    O Governo do Estado de São Paulo tem o dever de mandar alunos para a Fundação casa. É obrigação do governo de São Paulo.
    Este semestre o Secretário de Educação determinou que para que nenhuma escola ficassem com aula vaga, se contratasse em caráter excepcional, estudantes universitários com experiência em dar aula.
    Quando se candidatou um estudante de SOCIOLOGIA, que aparentemente,não interessava para a CENTRO OESTE, as vagas que deveriam serem publicada no site da DECO, sumiram
    As aulas para a Unidade Leopoldina, que foi divulgada tres vezes, desapareceram também, tão logo o aluno de Sociologia experiente com alunos de LA e SL., se apresentou.
    Então o Secretário precisa explicar.
    A DIRETORIA usa qual critério para contratar professor. Cadastrar ela até cadastra, mas parece que esconde as vagas. Será que professor com experiência e jovem que poderia mudar o cenário para melhor, não interessa para a DECO ? Qual seria o motivo ???
    Será que é o velho e imoral conceito de quanto pior, melhor ???
    Quem quiser confirmar e acompanhar acessa o site da DECO no setor saldo de aula….Alí está aulas remanescentes desde o dia 5 de junho. Ninguém quis as aulas ou estão sendo guardadas para um professor que interessa a DECO?
    Bem; eu só queria entender…

    Cremilda no Twitter: http://twitter.com/cremilda_napa

    fonte: http://blig.ig.com.br/cremilda/2010/07/20/eu-so-queria-entender/